E LEMBRE-SE! ...

... não te esqueças de agradecer ao bom Deus pelo dom maravilhoso da vida! L.s.N.S.J.C.!

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ORIENTAÇÕES da Igreja aos casais de segunda união

NA EXORTAÇÃO Apostólica do Papa João Paulo II, a "Familiaris Consortio" (Sobre a Família), o saudoso Papa polonês deixou orientações claras, da Igreja, sobre esses casais. São pessoas divorciadas que contraíram nova união fora da Igreja.

O Pontífice pediu que eles "não se considerem separados da Igreja, podendo, e devendo, enquanto batizados, participar na sua vida. Sejam exortados a ouvir a Palavra de Deus, a frequentar o Sacrifício da Missa, a perseverar na oração, a incrementar as obras de caridade e as iniciativas da comunidade em favor da justiça, a educar os filhos na fé cristã, a cultivar o espírito e as obras de penitência para assim implorarem, dia a dia, a graça de Deus. Reze por eles a Igreja, encoraje-os, mostre-se mãe misericordiosa e sustente-os na fé e na esperança" (n.83). São palavras claras.

Mas o Santo Padre deixa claro o seguinte: "A Igreja, contudo, reafirma a sua práxis, fundada na Sagrada Escritura, de não admitir à Comunhão Eucarística os divorciados que contraíram nova união. Há, além disso, um outro peculiar motivo pastoral: se se admitissem estas pessoas à Eucaristia, os fiéis seriam induzidos em erro e confusão acerca da doutrina da Igreja sobre a indissolubilidade do matrimônio".

E explicou que só poderiam se confessar e comungar, "quando o homem e a mulher, por motivos sérios - por exemplo, a educação dos filhos - não se podem separar, «assumem a obrigação de viver em plena continência, isto é, de abster-se dos atos próprios dos cônjuges». João Paulo II proíbe os pastores, por qualquer motivo ou pretexto, mesmo pastoral, de fazer, em favor dos divorciados que contraem uma nova união, cerimônias de qualquer gênero, porque estas dariam a impressão de celebração de novas núpcias sacramentais válidas, e consequentemente induziriam em erro sobre a indissolubilidade do matrimonio contraído validamente. E termina afirmando que "mesmo aqueles que se afastaram do mandamento do Senhor e vivem agora nesse estado, poderão obter de Deus a graça da conversão e da salvação se perseverarem na oração, na penitência e na caridade".

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) repete esta mesma orientação nos parágrafos 1651 e seguintes. O Papa Bento XVI confirmou esse ensinamento. Esses casais podem e devem verificar se o primeiro casamento deles foi válido. Se for o caso podem entrar com a Petição no Tribunal da Igreja para solicitar a Declaração de Nulidade de seus casamentos. Muitas são as razões que podem levar o Tribunal a declarar a nulidade de um casamento. Como recomendou o Papa João Paulo II esses casais não devem se afastar da Igreja, e devem pedir a Deus, sem cessar, a graça de resolverem essa situação. E que as comunidades os ajudem.

domingo, 26 de novembro de 2017

EVANGELHO do Domingo!

Jesus, Rei do Universo


NAQUELE tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso.

Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’.

Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’

Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’

Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não me fostes visitar’.

E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’

Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”. Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor. (Mateus 25, 31-46)

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

GRATIDÃO a ti, meu Deus!

AINDA que nossa boca estivesse cheia de canto, como o mar;
e nossa língua, de júbilo, como o bramido de suas ondas;
e nossos lábios, de louvor, como a amplidão do firmamento;
e nossos olhos resplandecessem, como o sol e a lua;
e nossos braços se estendessem, como as águias no espaço;
e nossos pés fossem ligeiros, como os dos cervos...

... não conseguiríamos agradecer-te, Adonai, 
Deus nosso e Deus de nossos pais,
nem bendizer teu Nome sequer em medida infinitesimal
pelos benefícios que fizeste a nossos pais e também a nós.
Amém.

(do manual de oração Encontro, frei Ignácio Larrañaga)

domingo, 29 de outubro de 2017

LOUVOR a ti, Senhor!

SENHOR Deus,

neste momento, que me concedeste para orar, eis que conduziste até aqui neste local - uma escola, uma sala de aula - e aqui procuro dirigir meus pensamentos e emoções para Ti, por meio de teu filho e nosso Senhor Jesus Cristo.



E o que vejo aqui? Objetos, gravuras que me lembram as crianças que aqui passam parte de sua vida. Vejo também nas carteiras nomes gravados. Certamente são os nomes de todas as crianças que nesta turma convivem. 

Sei que amas a cada um desses pequeninos, pois deles é o Reino dos Céus, como nos disse por meio do Evangelho teu filho Jesus. Em cada uma delas, um passado, um presente e um futuro; enfim, uma história, uma personalidade, uma vida.

Assim, também sou eu, de quem tudo sabes e, ainda assim, me amas.

Ao sair desta sala, observo a parte externa desta escola.

O que vejo? Árvores que são movimentadas pela ação do vento, flores, pássaros cantantes, e maravilhosa luz solar. Portanto, observo e sinto toda a manifestação de todo o teu amor por nós, teus filhos, por meio da natureza.
Diariamente tens nos brindado com a tua indefinível criação: o mar, as montanhas, as florestas, o firmamento... Tudo é teu; tudo o que posso ver e o que apenas posso imaginar: o finito, visível, e o infinito; a imensidão e o invisível a meus olhos.

Por tudo isso, venho aqui te agradecer por todo o amor que dedicas a todos nós, teus filhos queridos.
Amém.

sábado, 7 de outubro de 2017

PADRE idoso fica paralítico após brutal agressão sofrida



O PADRE Antonio Rodríguez, pároco de 83 anos de Santa Rita em Vigo, Galícia (Espanha), ficou paralítico depois do espancamento de dois jovens, em outubro do ano passado, em sua igreja.

O jornal ‘La Voz de Galicia’ informou que devido a este caso, a Procuradoria elevou seu pedido de indenização para o sacerdote e sua irmã, pelas lesões “muito graves” sofridas nas mãos dos agressores identificados como Alison Lucas B. e Iago S., brasileiros.

Propõe mais de meio milhão de euros para cobrir os gastos de atenção e cuidados do sacerdote, que agora se encontra em uma cadeira de rodas e dependendo de outras pessoas.


Após a agressão que sofreu, o sacerdote ficou com um severo dano neural e um derrame cerebral. Os médicos tiveram que submetê-lo ao coma induzido e ficou com 95% do corpo imobilizado.


Os peritos disseram que, embora ainda possa falar, Pe. Rodríguez ficará “imobilizado assim para toda sua vida”.

Segundo testemunhos dos paroquianos, um dos delinquentes teria fingido pedir o sacramento da confissão para em seguida exigir do padre o seu relógio.

Outro ladrão o segurou por trás e começaram a agredi-lo na boca e na cabeça.

Entre os itens roubados estão os óculos do sacerdote, seu relógio, sua carteira e objetos de valor da igreja. Também levaram o dinheiro que o sacerdote tinha separado para comprar alimentos para os pobres. (Front Católico)



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

POR QUE é proibido adorar imagens?



NO LIVRO do Êxodo (20,4-5) Deus parece proibir o uso de imagens. Mas porquê essa proibição? Porque podia ser ocasião a que o povo de Israel as adorassem, como faziam os povos vizinhos dados à idolatria. Os israelitas tendiam a imitar gestos religiosos pagãos e, por isso, muitas vezes caíram na idolatria. Deus queria incutir o conceito de Javé, mostrando que o Senhor era diferente dos deuses dos outros povos.


Tomadas as cautelas contra o perigo da idolatria, Deus não somente permitiu, mas até mandou que se fizessem imagens sagradas. Veja:


* Ex 25,17-22 – Deus manda Moisés colocar 2 querubins de ouro na Arca da Aliança, onde Javé falava com seu povo.


* 1Rs 6,23-28 – No Templo construído por Salomão foram colocados querubins de madeira junto à Arca da Aliança. E as paredes do templo tinha imagens de querubins. Tudo feito com ordem de Deus, conforme vemos em 1Crônicas (22,6-13), e em Êxodo (31,1-11).


* 1Rs 7,25.29 – No Templo de Salomão havia também bois de metal, leões, touros e querubins.


* Nm 21,8-9 – Deus ordenou a Moisés que fizesse uma serpente de bronze, e quem olhasse para ela seria salvo.


No século III, encontramos sinagogas da Palestina com pinturas e figuras humanas. A sinagoga de Dura-Europos, na Babilônia, tinha a representação de Moisés, Abraão e outros.


As antigas catacumbas cristãs apresentavam imagens bíblicas. Noé salvo do dilúvio, Daniel na cova dos leões, o peixe que simbolizava o Cristo e muitas outras.


A veneração que a Igreja presta às imagens, só é válida na medida em que é oferecida indiretamente àqueles que as imagens representam.


Veja alguns depoimentos sobre o uso das imagens:


– “Uma coisa é adorar uma imagem, outra coisa é aprender, por essa imagem, a quem se dirige às tuas preces. O que a Escritura é para aqueles que sabem ler, a imagem o é para os iletrados. Por essas imagens, aprendem o caminho a seguir. A imagem é o livro daqueles que não sabem ler” (Papa São Gregório Magno).


– “Quanto mais os fiéis contemplarem essas representações, mais serão levados a recordar-se dos modelos originais. Uma veneração respeitosa sem que isto seja adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé, a Deus.” (Concílio de Niceia II).


– “Ninguém há tão simples e iletrado que possa desculpar-se de não saber como viver retamente, quando tem diante de si na imagem do Crucificado, um livro ilustrado, escrito, de forma clara e legível, em que todas as virtudes são aprovadas e todos os vícios reprovados.” (Jean Gerson).


– “Outrora Deus invisível, nunca era representado. Mas agora que Deus se manifestou na carne e habitou entre os homens, eu represento o “visível” de Deus. Não adoro a matéria, mas o Criador da matéria.” (ib I. 16).
 Prof. Felipe Aquino:

domingo, 1 de outubro de 2017

EVANGELHO do Domingo!

Vinde trabalhar na minha vinha



NAQUELE tempo, Jesus disse aos sacerdotes e anciãos do povo: "Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: 'Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha!' O filho respondeu: 'Não quero'. Mas depois mudou de opinião e foi.

O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: 'Sim, senhor, eu vou'. Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?"

Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: "O primeiro'.

Então Jesus lhes disse: "Em verdade vos digo que os cobradores de impostos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os cobradores de impostos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele". Palavra da Salvação. Glória a vós, Senhor! (Mateus 21, 28-32)

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

domingo, 17 de setembro de 2017

EVANGELHO do Domingo!

Quem ama, perdoa


NAQUELE tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: "Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?"

Jesus respondeu: "Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. Quando começou o acerto, levaram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.

O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e, prostrado, suplicava: 'Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo!' Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida.

Ao sair dali, aquele empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: 'Paga o que me deves'.

O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: 'Dá-me um prazo, e eu te pagarei!' Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.

Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo.

Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: 'Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. Não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?'

O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 

É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão". Palavra da Salvação. Glória a vós, Senhor!
(Mateus 18, 21-35)